Continuous Delivery, você sabe o que é?

Continuous Delivery, ou entrega contínua, é uma prática dentro da engenharia de softwares realizada por equipes de desenvolvimento que garante o lançamento de um software com segurança e agilidade.
8 de janeiro de 2020 / Desenvolvimento

Não é novidade para ninguém que o mundo hoje em dia anda extremamente acelerado, e isso não seria diferente na área de desenvolvimento de softwares. Não queremos - e nem podemos - mais esperar longos períodos de tempo para fazer com que nossas ideias e projetos se tornem realidade. Tudo precisa ser idealizado, testado e validado muito rapidamente, e é justamente para isso que a ideia de Continuous Delivery - entrega contínua, em português - surgiu: uma prática dentro da engenharia de softwares realizada por equipes de desenvolvimento que garante o lançamento de um software com segurança e agilidade.

Há não muito tempo atrás, era comum ver a maioria das empresas de software trabalhando com modelos de desenvolvimento engessados, tal como o modelo em cascata, em que grandes ideias eram desenvolvidas por completo para só depois serem disponibilizadas para validação do cliente. Mesmo quando eram utilizados processos e modelos mais ágeis, a entrega de pequenas correções e funcionalidades poderiam demorar meses para ir ao ar.

A exigência do mercado e o desenvolvimento de novas tecnologias foram fazendo com que esse processo fosse aperfeiçoado e se tornasse cada vez mais rápido. A utilização das ferramentas atuais faz com que a liberação de uma nova versão seja extremamente rápida e segura. Novas funcionalidades e correções podem ser feitas e então disponibilizadas para o cliente quase que instantaneamente.

De acordo com o fluxo de desenvolvimento de uma empresa, podem ser liberadas dezenas de novas versões durante o mesmo dia, tudo isso com o sistema em uso e sem que o cliente perceba que o mesmo está sofrendo atualizações constantes.

Esse é o principal foco do Continuous Delivery. A ideia é que as novas funcionalidades não precisam ficar esperando uma grande liberação para irem ao ar: todas as pequenas alterações são testadas e liberadas assim que ficam prontas. Para isso, um ponto crucial dessa abordagem é que ela proporciona ao cliente a possibilidade de validar rapidamente as suas ideias. Não é mais necessário aguardar meses para poder ver como ficou a nova tela que você solicitou, ou então saber se aquele novo processo realmente vai funcionar - e se não funcionar, esperar mais alguns meses para que seja ajustado.

Gostaria de saber mais sobre os trabalhos que realizamos com tal método? Clique aqui e saiba mais!

Autor: Artur Ebele

Veja mais