Integração entre sistemas: principais métodos

23 de julho de 2019 / Desenvolvimento

Você empresário, ou líder de uma determinada equipe, diariamente e incansavelmente procura por melhorias para a sua empresa, ou equipe especifica, não é? Analisando processos entre setores que possam ser otimizados para ganho de tempo e redução de custos.

Além de melhoria na comunicação entre os diversos setores internos e externos, a diminuição dos ruídos entre esses é muito benéfica para a operação, removendo um grande gargalo para o crescimento da empresa como um todo.

E como a mágica acontece?

Existem alguns formatos de integração que podem ser efetuados, desde uma forma mais simples e já não tão convencional, como em um formato totalmente novo, de melhor performance.

Abaixo vamos listar os formatos mais comuns e como funcionam. Vamos lá!

Troca de dados via arquivo

Nesse formato mais “primitivo”, um dos sistema faz a exportação de dados num formato de arquivo especifico, e o outro sistema importa esse mesmo arquivo para dentro do seu sistema de forma totalmente manual, ou seja, no sistema A é necessário que uma pessoa gere esse arquivo para exportação, e no sistema B é necessário que outra pessoa importe esse arquivo. 

Comunicação direta via Banco de dados

Na comunicação banco a banco, não existe mais trabalho manual para importação de dados. Nesse formato os sistemas que serão integrados se comunicam diretamente entre si, e a “mágica” acontece “sozinha”. Dessa forma zera a chance de falhas humanas, e o único ponto negativo é em relação a performance, e à segurança dos dados.

Integração via API

É o formato mais avançado para efetuar uma integração entre um ou vários sistemas. Além de ser muito seguro e rápido, o tempo de desenvolvimento é reduzido visto que geralmente existe documentação entre as partes, e dessa forma os desenvolvedores não precisam interromper o desenvolvimento do código para retirar dúvidas de processos.

Um outro ponto a ser destacado é que nesse formato não é necessário nenhum intermediador, ou seja, um middleware, resultando numa integração praticamente em tempo real.

Então, agora que você está por dentro dos principais métodos de integração, e entende que irá dar agilidade nos processos internos, vamos conversar sobre?

Até a próxima!

Autor Arnon Dimitrius Fumagalli

Veja mais